header top bar

section content

Famup reúne prefeitos no Sertão para tratar de sequestros de contas para pagar dívidas previdenciárias

Gestor disse que é difícil cumprir as obrigações do município, pois a Receita Federal bloqueia os recursos das prefeituras.

Por Luzia de Sousa

15/08/2018 às 15h56

A Federação das Associações de municípios da Paraíba (Famup) promoveu nesta quarta-feira (15), o encontro de contas previdenciárias para municípios do Vale do Piancó, para explicar os créditos e débitos dos municípios. O tema é justificado pelo endividamento dos municípios com a Previdência Social, mas a reclamação dos gestores é geral em relação a forma de pagamento imposta pelo INSS, que é de sequestro das contas das prefeituras.

Esse encontro foi realizado na sede da Associação dos Municípios da Região do Vale do Piancó (Anvap), em Itaporanga e contou com a presença de vários prefeitos da região.

O advogado da Famup, João Vitor Paiva disse que esse encontro com os gestores foi muito importante, pois tratou dos créditos e débitos que os prefeitos sertanejos têm com a Receita Federal.

Já o prefeito de Santa Inês, João Nildo (PDT), disse que é difícil cumprir as obrigações do município, pois a Receita Federal bloqueia os recursos das prefeituras.

Famup reúne prefeitos no Vale do Piancó (Foto: Flávio José)

Segundo Nildo, os municípios estão pagando contas indevidas, inclusive, bloqueio em prefeituras que não estão devendo. “Vergonhoso”. Avaliou o político.

DIÁRIO DO SERTÃO com informações, fotos e vídeos de Flávio José da cidade de Itaporanga

Recomendado para você pelo google

CONSÓRCIO NORDESTE

VÍDEO: João Azevêdo destaca potencial tecnológico de Campina Grande em encontro com empresários alemães

NA VILA NOVA

VÍDEO: Advogado acusa PM de abuso de autoridade durante blitz em Cajazeiras: “Atitude transloucada”

EVENTOS ATÉ DIA 06/12

VÍDEO: Prefeito de Monte Horebe anuncia pagamento de servidores e programação do aniversário da cidade

ESTELIONATO

VÍDEO: Após dois golpes em banco de Cajazeiras, advogado mostra como vítimas devem buscar seus direitos