header top bar

section content

Carne vendida em várias cidades da região de Cajazeiras é cortada no chão misturada a insetos

Segundo informações das pessoas que trabalham no local, a carne consumida pelo povo é levada para outros municípios da região. Confira o vídeo exclusivo

Por

21/09/2014 às 10h00

Carne é cortada misturada ao sangue e a sujeira (Fotos: Diário do Sertão)

Uma reportagem especial produzida pelo Diário do Sertão flagrou esta semana, a situação do matadouro público da cidade de Carrapateira, na região de Cajazeiras.

Sem qualquer higiene, os animais são levados para o matadouro, onde são cortados e a carne é separada no chão, misturada ao sangue e muita sujeira.

Sem estrutura, sem critérios e pessoas sem qualquer proteção, os homens cortam a carne que fica exposta a todo tipo de insetos, e este produto é levado para mesa das famílias, que corre o risco de contaminar e até matar pessoas.

Segundo informações das pessoas que trabalham no local, a carne além de ser consumida pelo povo de carrapateira é levada para outros municípios da região.

Um popular contou que o problema vem se arrastando por muito tempo, e reclamou da ausência de fiscalização. “Um veterinário vem uma vez perdida e a imoralidade continua do mesmo jeito. A sujeira é imoral. É cada vez pior”.

Outra pessoa que também trabalha no local disse que a carne comercializada na região pode chegar a matar pessoas.

Estudo
Foi feito um levantamento durante nove meses pela ONG Amigos da Terra – Amazônia Brasileira, onde constatou que 30% da carne consumida no País não passa por nenhuma fiscalização.

E, pior ainda, o estudo elaborado pela Amigos da Terra constatou que 70% dessa carne não é clandestina. Ou seja, apesar de imprópria para o consumo, ela passa facilmente pelos mecanismos de fiscalização governamentais, pois transita por frigoríficos e abatedouros autorizados a funcionar, com a aprovação concedida por médicos veterinários que têm o dever de atestar a origem e a qualidade do que será levado à mesa dos brasileiros.

O problema é que a omissão – ou conivência – dos veterinários com esses matadouros expõe a população a uma série de doenças, como a teníase, que leva a perturbações nervosas, e a potencialmente fatal tuberculose.

O outro lado
O prefeito da cidade de Carrapateira, André Pedrosa (André de Zé Molenga – PTB), foi procurado por duas vezes pela reportagem mais não foi localizado.

Já o administrador do matadouro, Valciano Bernardo disse que a gestão está investindo para melhorar o local, realizada limpeza em várias áreas. “Já fornecemos fardamento e botas para os funcionários e fazemos a limpeza duas vezes por semana”.

Veja vídeo!

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:
YOUTUBER DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Léo Abreu revela em quais profissões podemos encontrar psicopatas

ESPERANÇA NA POLÍTICA!

VÍDEO: Pastor evangélico fala sobre Bolsonaro: “Ele incorporou o que a sociedade acredita: a família”

ASSISTA!

Arquitetura, urbanismo e direitos humanos marcaram último episódio da temporada do Coisas de Cajazeiras

VÍDEO

Comemorando o dia dos Direitos Humanos, professor fala sobre os avanços da data no Diversidade em Foco