header top bar

section content

Vituriano de Abreu denuncia superfaturamento em asfaltamento

Segundo o parlamentar, o governador Ricardo Coutinho gastou R$ 2 milhões para colocar alguns centímetros de “óleo preto” na “Estrada do Amor”

Por

03/09/2014 às 18h35

Vituriano denuncia superfaturamento

O deputado estadual Vituriano de Abreu (PSC) denunciou, durante discurso na Assembleia Legislativa, que o governador Ricardo Coutinho (PSB) gastou cerca de R$ 2 milhões para colocar alguns centímetros de óleo preto em uma estrada que já estava pronta, a “Estrada do Amor”, no município de Cajazeiras.

De acordo com o deputado, a obra foi iniciada no Governo Cássio, passou pelo Governo de José Maranhão e agora no Governo Ricardo Coutinho foi concluída. “Três governos já trabalharam naquela estrada. O atual mandou colocar um centímetro de óleo preto em lugar que já estava pronto. Foram gastos R$ 2 milhões em um contrato superfaturado. Até um menino que faz o primeiro grau sabe que houve superfaturamento; O Tribunal de Contas só não pega na mentira se não quiser”, ironizou o deputado.

Finalizando, Vituriano de Abreu cobrou do Ministério Público que investigue as denúncias que são feitas contra o atual governo. “É hora dos órgãos de fiscalização do dinheiro público investigarem o que está acontecendo na Paraíba com esse governo da confusão e da mentira,Não há pessoa inteligente que não fique confundida com tanta informação distorcida. Primeiro ele disse que foram  2, 5 mil quilômetros de estradas construídas e agora são apenas 1,5 mil. Ele mente, esquece e não repete hoje o que disse ontem”.

Assessoria

Tags:
ASSISTA!

Arquitetura, urbanismo e direitos humanos marcaram último episódio da temporada do Coisas de Cajazeiras

VÍDEO

Comemorando o dia dos Direitos Humanos, professor fala sobre os avanços da data no Diversidade em Foco

SERTÃO PRESTIGIADO

VÍDEO: Com cajazeirense na vice-presidência, OAB-PB empossa os eleitos para comandar a instituição

ÁGUA

VÍDEO: Prefeito de Santa Helena inaugura barragem na comunidade São Bento e açude já acumula água