header top bar

string(13) "diario-sertao"

section content

VÍDEO: Padre sertanejo revoluciona estilo de celebrar missa, vira fenômeno e é comparado a Frei Damião

Ordenado no ano de 2009, Padre Fabrício Timóteo tem levado multidões a São Mamede para o que ele chama de missas com orações de cura e libertação

Por Jocivan Pinheiro

18/07/2018 às 16h13 • atualizado em 18/07/2018 às 16h17

Um jovem padre que administra a Paróquia Nossa Senhora da Conceição, na cidade de São Mamede, que fica na região metropolitana do município de Partos, no Sertão paraibano, está chamando a atenção dos fiéis católicos pela sua maneira de celebrar as missas.

Ordenado em 2009, Padre Fabrício Timóteo, que deixou o curso de Direito para se dedicar ao sacerdócio, tem levado multidões para o que ele chama de ‘missas com orações de cura e libertação’. O fenômeno popular rendeu até uma comparação com o Frei Damião, um dos maiores ícones católicos do Nordeste.

“É uma grande alegria a gente poder ser comparado a aquele santo, o ícone das missões, da evangelização, da catequese da nossa igreja”, responde o padre.

Quando as missas com orações de cura e libertação acontecem em praça pública, o número de pessoas é ainda mais impressionante. Diante de uma liturgia padrão que deve ser seguida à risca na missa, Padre Fabrício explica que o segredo para tornar o evento religioso mais envolvente é o ‘fervor’ com que se celebra.

“Eu acredito muito que a gente tem que usar um novo fervor e ter uma nova motivação para fazer com que a linguagem que é transcendental e única, que é a linguagem da liturgia, se torne categorial, ou seja, que ela chegue ao coração das pessoas, ao dia a dia das pessoas”, frisou.

VEJA MAISFiéis se emocionam na homenagem a N. Senhora do Carmo com o Bispo de Cajazeiras

Quando as missas acontecem em praça pública, o número de pessoas é ainda mais impressionante

Nova geração de padres

Por causa desse estilo diferente de celebrar missas, Padre Fabrício logo começou a ser comparado também aos padres famosos da ‘nova geração católica’ do Brasil, como Reginaldo Manzotti, Fábio de Melo, Marcelo Rossi, entre outros. Mas ele procura deixar claro que sua intenção não é ser o centro das atenções, pois a motivação dos fiéis para irem à missa não deve ser o padre, mas sim Jesus Cristo.

“É preciso saber que o centro é Cristo. É Cristo quem precisa ser conhecido, ser adorado, ser testemunhado. É Cristo quem opera. Eu creio piamente que quem cura é a Eucaristia, não é o padre que preside, não é a assembleia que celebra. Quem cura é o Mistério a ser celebrado. Mas esse Mistério merece ser celebrado com fervor, com alegria, com entusiasmo, com vibração. O Mistério é único, mas precisa ser celebrado numa nova pedagogia, numa nova metodologia, num novo fervor”.

DIÁRIO DO SERTÃO

ASSISTA

VÍDEO: ‘Mensagem de Esperança’ debate o mundo e o mal, sexo e outros temas

PARTICIPE!

VÍDEO: Gerente do Sebrae fala de revolução tecnológica em feira de Cajazeiras e convida empreendedores

PLANOS E METAS

VÍDEO: Cantor explica como pretende administrar o Atlético e declara que o problema do clube é político

CAMPEONATO PARAIBANO 2019

VÍDEO: Após vistoria técnica, representantes da CBF elogiam o estádio Perpetão: “É um dos melhores”