header top bar

section content

Fisioterapeuta chegou ao Hospital Regional de Cajazeiras muito mal; Ela teria sido acometida de infecção abdominal gravíssima. CONFIRA!

A fisioterapeuta era proprietária de uma clínica para tratamento dermato funcional, no centro de Cajazeiras e muito querida por amigos e colegas.

Por Luzia de Sousa

18/05/2017 às 11h10 • atualizado em 18/05/2017 às 15h00

Valéria Medeiro (Foto: Arquivo Pessoal)

Faleceu no Hospital Regional de Cajazeiras nesta quinta-feira (18), a fisioterapeuta especializada em Dermato Funcional, a cajazeirense Valéria Medeiros, 25 anos.

De acordo com informações repassadas a reportagem do Dário do Sertão, a fisioterapeuta estava realizando um tratamento por ser acometida da síndrome de Crohn, que é uma doença inflamatória séria do trato gastrointestinal.

A fisioterapeuta era proprietária de uma clínica para tratamento dermato funcional, no centro de Cajazeiras e muito querida por amigos e colegas.

As informações dão conta que a jovem passou mal em casa e foi socorrida para a Unidade de Pronto Atendimento, em seguida transferida para o HRC, onde chegou muito mal e sem sinal de pressão arterial.

O Crohn afeta predominantemente a parte inferior do intestino delgado (íleo) e intestino grosso (cólon), mas pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal.

Ele teria tido seu quadro clínico agravado após tratamento de uma necrose em parte do intestino e teve infecção abdominal gravíssima, o que teria a levado a óbito.

O local de velório e sepultamento da jovem ainda não foram definidos.

DIÁRIO DO SERTÃO com informações do Polêmica Paraíba

CAMPEONATO PARAIBANO 2019

Ele vem aí! Sousa Esporte Clube apresenta novo time e garante lutar com raça pelo título do Paraibano

DESTAQUE INTERNACIONAL

VÍDEO: Em Cajazeiras, palestrante filho de paraibanos fala das suas experiências no Brasil e no exterior

"AQUI NESSA MESA DE BAR"

VÍDEO: Homenagem a garçons de Cajazeiras no programa Xeque-Mate tem música, drinks e boas histórias

SAÚDE E BEM-ESTAR

VÍDEO: Sangramento nas regiões do reto e do ânus pode ser sinal de doença grave, avisa médico