header top bar

section content

Líder católico de Cajazeiras grava vídeo fazendo apelo para não votarem em Bolsonaro “pelo amor de Deus”

Padre Gervásio gravou um vídeo se posicionando contra o candidato à presidência da República e fazendo um apelo para que as pessoas não votem no ex-militar

Por Jocivan Pinheiro

20/10/2018 às 17h18 • atualizado em 20/10/2018 às 17h25

Monsenhor Gervásio de Queiroga, um dos líderes católicos mais respeitados do Brasil, gravou um vídeo se posicionando contra o candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e fazendo um apelo para que as pessoas não votem no ex-militar.

Padre Gervásio, como também é conhecido, diz que pediu autorização ao Bispo da Diocese de Cajazeiras, Dom Francisco de Sales, para fazer o vídeo.

Na sua mensagem, ele explica que a Igreja Católica proíbe os padres de serem políticos de ofício, ou seja, ocupem cargo eletivo. Mas não impede que eles opinem sobre questões políticas.

“Pedi licença ao Bispo previamente para fazer este vídeo e ele me deu, mas a responsabilidade de tudo que eu disser é unicamente minha”, justifica o Monsenhor. Em seguida, ele faz um apelo: “Pelo amor de Deus, pelo amor de Deus, não votem nele! Ele não! Bolsonaro não!”

VEJA MAISPadre Gervásio afirma que prisão de Lula é para destruir o partido que mais fez pelo país

Folha revela esquema ilegal de empresas pró-Bolsonaro bancando onda de fake news contra o PT

Monsenhor Gervásio Fernandes de Queiroga

Padre Gervásio justifica seu posicionamento contra Jair Bolsonaro afirmando, entre outras coisas, que durante 26 anos de carreira política como parlamentar ele não deu nenhuma contribuição ao país (nesse período só teve dois projetos aprovados). Ainda segundo o padre, Bolsonaro defende a tortura, a violência, despreza as mulheres, votou contra os direitos dos trabalhadores e tem como vice um general racista e reacionário.

“Sua campanha é sustentada por grupos econômicos e ideológicos que têm todo interesse em revirar a situação do país. Para frente? Nunca. Para trás. Para dar uma marcha ré de 60, 70 anos atrás, numa linha não de democracia, de progresso, de participação do povo, mas o contrário: militarismo, violência, cortes dos direitos políticos e da sociedade”, declara.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

EM CAJAZEIRAS

VÍDEO: Ciro diz que Ricardo ‘prejudicou-se na sucessão’, mas elogia Azevêdo: “Seria uma honra no PDT”

PREOCUPADO

VÍDEO: Na Semana dos Pobres, bispo de Cajazeiras diz que “pobreza se avoluma cada vez mais nas cidades”

A OBRA PAROU?

Ex-vereador denuncia que terminal rodoviário de Sousa está abandonado: “Prefeito Tyrone não está nem aí”

PROJETO DE LEI

VÍDEO: Comentarista diz que críticas ao leilão de imóveis da Prefeitura de Cajazeiras é ‘politicagem’