header top bar

section content

Júri de PM acusado de matar companheira no Sertão será em Campina; ele não aceitava fim da relação

O pedido de desaforamento foi feito pelo Ministério Público estadual, que alegou o fato de que o réu possui forte influência no município.

Por Luzia de Sousa

10/10/2019 às 13h56

Policial não aceitava fim da relação

Por decisão da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba, foi deslocado para a Comarca de Campina Grande o júri popular de Damião Soares Gomes, acusado de assassinar pelas costas a sua companheira, por não aceitar o fim do relacionamento. O pedido de desaforamento foi feito pelo Ministério Público estadual, que alegou o fato de que o réu possui forte influência no Município de Itaporanga, por ser subtenente da Polícia Militar, atuando na polícia há muitos anos, pertencendo à família muito conhecida na cidade.

VEJA TAMBÉM:

+ VÍDEO: Vizinhos teriam ouvido uma discussão antes de mulher ser assassinada a tiros em Itaporanga

O MP relatou que o crime, ocorrido em 25 de janeiro de 2018, teve grande repercussão no Vale do Piancó, havendo indícios de que uma guarnição da Polícia Militar, indevidamente, alterou a cena original do crime. Ressaltou, ainda, que o réu seria conhecido na região por ter um comportamento agressivo e violento. Relembrou que, no dia da audiência de custódia, houve exaltação de populares na porta do Fórum, sendo necessário apoio policial para conter os ânimos.

O relator do Desaforamento foi o desembargador João Benedito da Silva. Ao decidir sobre o pedido, ele levou em conta os argumentos trazidos pelo Ministério Público, bem como a posição do Juízo local, favorável, também, ao deslocamento do júri.

“Os motivos informados pelo Ministério Público a quo, e ratificados pelo magistrado, demonstram claramente a suspeita da parcialidade aventada, respaldando-se em mais que conjecturas vãs, mas em circunstâncias provadas que induzem a conclusão de fundado risco de que o julgamento não seja isento, havendo fundadas suspeitas de uma predisposição da sociedade do Município de Itaporanga à absolvição do acusado, ante sua influência na região e a pressão de familiares”, ressaltou João Benedito da Silva.

Entenda o caso – De acordo com os autos, no dia 25 de janeiro de 2018, por volta das 09h20, Damião Soares Gomes subtraiu, por intermédio de disparos de arma de fogo, a vida de sua companheira, Jaqueline Fabrícia Araújo, com quem conviveu por 15 anos, por motivo fútil (não aceitar o fim do relacionamento), não dando chance de defesa à vítima, eis que ela tentou fugir de sua própria casa, quando ele atirou pelas costas e, em seguida, fugiu. Da decisão cabe recurso.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

NÃO QUIS ESPERAR

VÍDEO: Vereador de Itaporanga rompe com deputado estadual e anuncia que será candidato a prefeito

NOVO DECRETO

VÍDEO: Exonerações, cortes e proibições na prefeitura de Cajazeiras é para garantir 13º, diz secretário

ÁGUA

VÍDEO: Programa Mensagem Empresarial recebe empresário e fala sobre a distribuidora de água Vale Cristal

POSSÍVEL INFARTO

VÍDEO: Homem passa mal na garupa de mototáxi, e incidente quase provoca colisão no Centro de Cajazeiras