header top bar

section content

Radialista diz que prefeito de cidade do Sertão é um ‘misto de satanás e Deus’ que muitos veneram e odeiam

Jucélio também comentou sobre a recente denuncia publicada no DS sobre a máquina da prefeitura de Marizópolis que estourou a “Lagoa de fezes”; veja!

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

19/05/2016 às 15h32 • atualizado em 19/05/2016 às 15h34

O radialista Jucélio Almeida falou em seu comentário no Direto ao Ponto do Portal e TV Diário do Sertão nesta quinta-feira (19), sobre o prefeito da cidade de Marizópolis, região de Sousa, Zé Vieira.

Segundo Jucélio, Zé Vieira é uma figura folclórica, um misto de satanás e Deus, alguns veneram e outros odeiam, tem as costas largas que casa e batiza: “Ele tem centenas de processos na justiça, a vinte anos casa e batiza a frente da prefeitura de Marizópolis e não acontece nada, é o famoso pacto da encruzilhada.”

Jucélio também comentou sobre a recente denuncia publicada no Diário do Sertão sobre a máquina da prefeitura de Marizópolis que rompeu uma parede e o esgoto da cidade está sendo derramado dentro do açude de São Gonçalo, indignando a população de Sousa, Marizópolis e Nazarezinho, onde é abastecido.

“É mais do que um crime ambiental, é uma tentativa de homicídio você mandar arrebentar uma parede de uma lagoa para que os dejetos caiam no açude que abastece milhares de pessoas. E pra ele (Zé Vieira) é como se nada tivesse acontecido.”

Relembre

ALERTA! Máquina da prefeitura estoura “Lagoa de fezes” e esgoto é derramado em açude que abastece milhares de pessoas. Fotos e vídeo!

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

ESPECIAL DE PÁSCOA

VÍDEO: TVDS exibe programa ‘Mensagem de Fé com Frei João Batista’ em especial de Semana Santa

FÉ E DEVOÇÃO

Sexta-feira Santa em Cajazeiras é marcada por várias celebrações religiosas e grande número de fiéis

SAÚDE

VÍDEO: Xeque Mate fala sobre a obesidade e médica endocrinologista tira dúvidas sobre a doença; Veja!

SEMANA SANTA PARA OS EVANGÉLICOS

VÍDEO: Pastor fala sobre significado da Páscoa para os protestantes: “É o sacrifício e a libertação”