header top bar

section content

Engenheiro contesta inquérito do MPF que apura supostas limitações técnicas no aeródromo de Cajazeiras

Entre as supostas limitações apontadas pelo MPF estão a capacidade da pista de suportar a pressão dos pneus de aeronaves a jato e o balizamento noturno

Por Jocivan Pinheiro

25/03/2018 às 14h33

Engenheiro Alexandre Costa, presidente da CDL de Cajazeiras

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Cajazeiras, Alexandre Costa, informou que vai agendar uma audiência entre as entidades de classe e o procurador Eliabe Soares da Silva, do Ministério Público Federal em Sousa, para tomar maiores esclarecimentos a respeito do inquérito civil que foi instaurado na semana passada para investigar supostas limitações técnicas no aeródromo de Cajazeiras e supostos desperdícios de recursos federais na obra.

Entre as supostas limitações apontadas pelo MPF estão a capacidade da pista de suportar a pressão dos pneus de aeronaves a jato e o balizamento noturno. Essas questões estariam tornando o aeródromo inviável para receber aeronaves. No entanto, Alexandre Costa contesta.

Sobre a capacidade da pista, o presidente da CDL, que também é engenheiro, acredita que o procurador esteja confundido a resistência da pista (PCN: Pavement Classification Number) com questões relacionadas às propulsões de aeronaves a jato.

VEJA TAMBÉM: Engenheiro declara que aeródromo de Cajazeiras suporta jato e que denúncia de piloto foi maldosa

Trecho do balizamento noturno do aeródromo de Cajazeiras

Alexandre ressalta que em 2017 a CDL, o Sindibens (Sindicato do Comércio de Bens e Serviços de Cajazeiras), a AC3 (Associação dos Cajazeirenses e Cajazeirados do Ceará) e alguns empresários da cidade contrataram uma consultoria do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) para avaliar as condições de operação de aeronaves no aeródromo de Cajazeiras, e essa consultoria não reprovou a pista.

“Eu vou acionar a assessoria jurídica da entidade e marcar uma audiência com ele para pedir esclarecimento sobre isso. Nós não concordamos com essa questão e temos fundamento para isso. Temos documentos de uma consultoria dos engenheiros do ITA, e o aeroporto tanto é viável tecnicamente como economicamente”, disse.

Torre do balizamento noturno

Alexandre explica que o aeródromo foi homologado em agosto de 2016 para voos diurnos, mas permanece impedido de receber aeronaves durante a noite porque o balizamento noturno ainda não foi homologado pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), e que essa etapa deve ser resolvida entre o Governo do Estado e o Governo Federal.

Sobre supostos desperdícios de recursos federais na construção do aeródromo, ele afirma que as entidades de classe não se envolvem nessa questão e que é direito e função do Ministério Público Federal investigar.

DIÁRIO DO SERTÃO

VÍDEO

Jovem jornalista estreia programa na TV e conta tudo sobre o Atlético de Cajazeiras no Paraibano 2019

PRATICIDADE NA FISCALIZAÇÃO

VÍDEO: TCE-PB inaugura espaço digital público para ideias tecnológicas de controle dos atos públicos

GRUPOS SE ENFRENTAM NA 1ª FASE

VÍDEO: Dirigentes do Sertão comentam sorteio do Paraibano 2019. Atlético enfrentará o ‘grupo da morte’

ASSISTA!

Imagens de câmeras de segurança mostram assalto a comerciante em frente a banco na cidade de Patos