header top bar

section content

Prefeitura da região de Patos é indenizada com R$ 504 mil e instituição de idosos terá que funcionar

A Ação do Ministério Público da Paraíba (MPPB) obriga o prefeito a funcionar Instituição que foi inaugurada há dois anos e encontra-se inativa.

Por Diário do Sertão com Assessoria MPPB

02/02/2021 às 18h42 • atualizado em 02/02/2021 às 18h47

O município recebeu mais de R$ 500 mil para construção de Ilpi, que foi inaugurada em 2018, mas, por estar fechada, idosos da cidade estão institucionalizados longe de suas famílias (Foto: Divulgação/MPPB)

O prefeito de São Mamede, na região de Patos, Umberto Jefferson de Morais Lima (DEM), terá que fazer funcionar de maneira contínua e adequada, a Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI) “Casa do Idoso João Izidoro de Andrade”, a qual, foi inaugurada há dois anos. A determinação é do Ministério Público da Paraíba (MPPB) que ajuizou uma ação civil pública contra o Município.

O MPPB requer a adoção das medidas necessárias para esse funcionamento, como a indicação de equipes profissionais de saúde e de serviços gerais e de apoio, o fornecimento de medicamentos, de Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s), de material de higiene pessoal e de limpeza, nos termos da legislação, das resoluções e notas técnicas expedidas pela Secretaria Estadual de Saúde e Vigilância Sanitária, dentre outros atos normativos relacionados ao assunto.

VEJA TAMBÉM

VÍDEO: Oito vereadores eleitos no pleito de 2020 em Patos podem perder os mandatos, diz advogado

A ação (nº 0800854-58.2021.8.15.0251) ajuizada pelo 3º promotor de Justiça de Patos, Elmar Thiago Pereira de Alencar, foi distribuída, nesta terça-feira (2), à 4ª Vara Mista de Patos. Nela, o MPPB requer também que o Município seja condenado por danos morais coletivos ao pagamento de indenização no valor aproximado de R$ 504 mil, a serem destinados ao Fundo Especial de Proteção dos Bens, Valores e Interesses Difusos do Estado da Paraíba.

Sem funcionar

Conforme explicou o promotor de Justiça, chegou ao conhecimento do MPPB a notícia de que a Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI), que está sob a responsabilidade do Município de São Mamede, não estava funcionando. Em razão disso, foi instaurado inquérito civil (nº 040.2020.002521) para apurar o fato.

Durante a investigação foi verificado que o Município celebrou, em março de 2016, um convênio com o Estado da Paraíba, recebendo o valor total de R$ 504.218,38 para a construção de uma ILPI, para atender as necessidades de habitabilidade, higiene, saúde e de vida das pessoas idosas sem referência familiar da cidade e demais municípios circunvizinhos. Foi constatado também que, embora a sede da instituição tenha sido inaugurada em 2018, o espaço passou a ser pouco utilizado para suas finalidades, sendo que, tempos depois, deixou completamente de funcionar. Tais informações foram registradas em relatório elaborado pelo setor de Apoio e Diligência do MPPB, que realizou visita ao local, atestando as irregularidades encontradas.

Em resposta aos ofícios encaminhados pelo promotor, o Município informou que a ILPI não estava funcionando por falta da celebração de um convênio com o Estado para custear as despesas de alta complexidade para atendimento de idosos e, que as atividades mais simples desenvolvidas deixaram de ser realizadas em razão da pandemia da covid-19.

Para solucionar o problema, o promotor de Justiça expediu recomendação ao Município e ao prefeito para que fossem adotadas as medidas necessárias e providenciado o efetivo funcionamento da ILPI, utilizando como fonte de recursos, a princípio, o Fundo de Assistência Social (Bloco de Proteção Social Especial de Alta Complexidade), mas a recomendação não foi atendida e a Casa do Idoso continuou fechada.

Para o MPPB, além do prejuízo à população idosa, a inatividade da ILPI representa desvio de finalidade, quanto aos valores já despendidos pelo poder público. Além disso, alega a promotoria que o atual período de pandemia de covid-19, por si só, não justifica o desvio administrativo ocorrido. “Avulta-se inadmissível a formulação de um projeto, a angariação de recursos de convênios, a execução de gastos para a consecução do empreendimento, para, só ao final, identificar-se óbice orçamentário quanto à operacionalidade do serviço”, criticou o promotor de Justiça que destacou existirem, atualmente, idosos de São Mamede institucionalizados longe de suas famílias, em ILPI´s localizadas em outras cidades, como, por exemplo, Patos e Santa Luzia.

NA PARAÍBA

VÍDEO: Governador fala da vacinação e do pedido de reforço na quantidade de doses ao Ministério da Saúde

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Radialista fala de julgamento no TSE que pode recolocar Allan Seixas como prefeito de Cachoeira

SORRISO NO ROSTO

VÍDEO: Mulher abandonada com os filhos pelo marido recebe ajuda em alimentos e agradece à campanha

FECHADO

VÍDEO: Diretor de fiscalização do CRM revela motivos que levaram à interdição do hospital de São João

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!