header top bar

section content

Diretor diz que policial abusou de autoridade e dispara: “Palheta quebra todo dia”. OUÇA!

“Todos os dias aqui tem palhetas quebrando em bocas de crianças. É um procedimento que acontece”, destacou o diretor do HUJB.

Por Luzia de Sousa

04/05/2016 às 16h47 • atualizado em 04/05/2016 às 18h14

Marcelo Pinheiro se solidariza com a imprensa

O diretor administrativo do Hospital Universitário Júlio Bandeira, Marcelo Pinheiro em entrevista a uma Rádio local nesta quarta-feira (4), assegurou que os casos que vêm acontecendo no HUJB são pontuais.

Marcelo Pinheiro se reportou ao caso da criança de 8 anos que faleceu vítima de apendicite e disse que “pessoas estão criando imagem de que o HUJB não resolve seus problemas”

O diretor relembrou o caso da criança de dois anos que foi acompanhada da polícia para garantir o atendimento e contou que a menina ia ser atendida, mas a mãe se inconformou com a “demora” no atendimento, por isso procurou à Delegacia de Polícia.

VEJA TAMBÉM

?Policial que fez escolta para criança de 2 anos revela que médico ‘toca terror’ em CZ

?Diretor do HUJB fala da morte da criança e diz: ‘Médicos não querem trabalhar em Cajazeiras por pressão’ Vídeo

?Criança de quatro meses morre durante exames médicos; Ela deu entrada no HUJB

? Vereador quer processar médico acusado de maltratar mulher e criança no HUJB

? Diretora do HUJB fala sobre morte de criança e atendimento que virou caso de polpícia

“Entra um profissional externo, com abuso de autoridade, adentra uma casa de saúde federal e usando da sua autoridade promoveu o atendimento em detrimento de outras pessoas que já estavam aguardando”, declarou ele fazendo referência ao Agente de investigação da Polícia Civil, Allan Leite, que acompanhou a mãe até o hospital.

Marcelo Pinheiro também comentou sobre as palhetas que teriam sido quebradas na boca da criança: “Todos os dias aqui tem palhetas quebrando em bocas de crianças. É um procedimento que acontece”, destacou o diretor do HUJB

Ele comparou a situação real a um caso fictício, em que se o PM estivesse acompanhando um paciente que estivesse passando por uma infusão, onde chega até 15 tentativas: “No entender desse policial seria uma lesão de natureza grave, gravíssima contra a criança”

Ouça áudio da Rádio Oeste!

DIÁRIO DO SERTÃO

É DO SERTÃO!

Cantores mirins do Vale do Piancó estão fazendo sucesso e bombando em vários estados brasileiros

PROBLEMA GRAVE

VÍDEO: No Xeque-Mate, voluntários debatem sobre maus tratos e abandono de animais em Cajazeiras

SANTO PADROEIRO

VÍDEO: Padre anuncia programação da festa de Dom Bosco em Cajazeiras; festival de música é confirmado

FÓRUM AÇUDE GRANDE

VÍDEO: Grupo entrega documento no MP para fortalecer campanha de revitalização do açude de Cajazeiras