header top bar

section content

VÍDEO! Advogado sousense fala sobre a prisão em segunda instância e os argumentos no julgamento do STF

Ozael afirmou que com essa decisão não será mais possível esgotar todos os recursos disponíveis em tribunais superiores, ou seja, o chamado "trânsito em julgado".

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

22/10/2019 às 14h57

O advogado sousense Ozael Fernandes, é o mais novo integrante do quadro Direto ao Ponto da TV Diário do Sertão, e para iniciar sua participação abordou um tema polêmico que envolve a prisão após segunda instância.

O Supremo Tribunal Federal (STF) tem sofrido pressões para não derrubar a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.

Ozael afirmou que com essa decisão não será mais possível esgotar todos os recursos disponíveis em tribunais superiores, ou seja, o chamado “trânsito em julgado”.

“Até hoje não entendi porque o Supremo Tribunal Federal resolveu mexer em uma questão tão melindrosa. Esperamos um desfecho favorável para garantir a cada um esse princípio elementar que está inserido na Constituição da República dizendo que há uma presunção de inocência em favor de todo e qualquer brasileiro que não tenha contra ele uma sentença transitada e julgada”, pontuou Ozael.

Ozael Fernandes, advogado

Desde 2016, o Supremo Tribunal Federal entende que o réu pode começar a cumprir pena logo depois de condenado por um tribunal colegiado — isto é, após a condenação pela segunda instância. Agora, este entendimento pode ser revisto.

Quer saber mais detalhes? Assista acima ao vídeo completo!

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

ALUNOS DÃO SHOW

VÍDEO: 3º dia da Mostra de Conhecimentos destaca a natureza, tecnologias, leitura, teatro e matemática

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: advogado sousense fala sobre a redução da maioridade penal. Você é contra ou a favor?

VÍDEO

Dra Paula fala sobre dificuldades na gestão do seu esposo em Cajazeiras e diz ser contra demissões

GOVERNO NO FOCO

VÍDEO: Professor comenta os impactos do fim do DPVAT, golpe na Bolívia e invasão à embaixada venezuelana