header top bar

section content

É HOJE: Pauta do TCE tem contas da PBPrev, PBTur, nove Prefeituras e seis Câmaras; Veja lista do Sertão!

Presidido pelo conselheiro André Carlo Torres Pontes, o Tribunal de Contas da Paraíba reúne-se, ordinariamente, às quartas-feiras, a partir das 9 horas.

Por Luzia de Sousa

15/02/2017 às 05h04 • atualizado em 14/02/2017 às 15h47

TCE emite alerta aos prefeitos da Paraíba

Nove contas de Prefeituras e seis de Câmaras Municipais compõem, em meio a outros processos, a pauta de julgamentos do Tribunal de Contas do Estado para esta quarta-feira (15). Na ocasião, também serão examinadas duas contas anuais da Paraíba Previdência e uma da Empresa Paraibana de Turismo S/A.

O TCE verificará as contas de 2013 dos ex-prefeitos de Alhandra (Marcelo Rodrigues da Costa), Nova Palmeira (José Félix de Lima Filho) e Pedra Lavrada (Roberto José Vasconcelos Cordeiro) e as dos atuais prefeitos de Bananeiras (Douglas Lucena Moura de Medeiros), Sobrado (George José Porciúncula Pereira Coelho), Malta (Manoel Benedito de Lucena Filho), Emas (Ana Alves de Araújo Loureiro), Lagoa (Magno Demys de Oliveira Borges) e Damião (Lucildo Fernandes de Oliveira), exercício de 2014.

As Câmaras de Vereadores com prestações de contas na pauta do TCE são as de Areia de Baraúnas, Cuitegi, Alagoinha, Pirpirituba, Borborema e São Domingos do Cariri, todas referentes ao exercício de 2015.

Presidido pelo conselheiro André Carlo Torres Pontes, o Tribunal de Contas da Paraíba reúne-se, ordinariamente, às quartas-feiras, a partir das 9 horas, com acesso permitido ao público e transmissões ao vivo pela internet.

Ascom

Recomendado para você pelo google

EM SOUSA

Radialista revela que “vítima da mão pesada e dos chutes do prefeito Tyrone” disputará eleições em 2020

VÍDEO

Comandante do Corpo de Bombeiros aponta possíveis causas do incêndio no lixão de Cajazeiras

SAÚDE

VÍDEO: Programa Xeque Mate fala sobre a saúde de Cajazeiras e recebe popular e diretoras do HUJB e HRC

REFORMA AGRÁRIA

VÍDEO: Coordenadora da CPT Sertão afirma que terras são um direito dos camponeses e não do agronegócio