header top bar

section content

Mariana Moreira

Professora Universitária e Jornalista

Email: altopiranhas@uol.com.br

| 26/07/2019 08:53

Lembranças que humanizam

Na pressa cotidiana sou abordada na rua. – Mariana, ainda tenho guardado o jornal com a crônica que você fez para meu pai. O meu interlocutor é uma figura bem conhecida na cidade. Funcionário de uma concessionária de automóveis se destaca pela intensa paixão que devota ao seu time de coração e de onde vem […]


| 19/07/2019 09:47

Saudades que ensinam

O tempo, senhor de todas as vontades, transforma a dor em saudades. E assim, a mágica capacidade de viver vai nos adequando a novas realidades sem as vozes, os gestos, as presenças, os cheiros, os afagos. Hoje, papai, tua ausência já soma quatorze anos. Mas, em Impueiras, o som de teu assobio, nos finais de […]


| 28/06/2019 08:34

Malassombros modernos

As derradeiras brumas da fria noite de São João se dissipam no ar, tangidas pelos incandescentes raios de um sol que desponta entre amadurecidas folhas de jucás e aroeiras, que se despedem da fartura de chuvas. As escassas ramagens da frondosa cajazeira escondem afoitos galos de campina que, maviosos, anunciam o novo dia enquanto ao […]


| 17/05/2019 14:48

Pensar é perigoso? Ou inútil?

O que é um inocente útil? Porque, em momentos vários da nossa história, pensar torna-se um crime de lesa pátria? Por que o conhecer, quando apropriado e manipulado (no sentido de ressignificar com mãos, reais ou políticas), tornar-se uma perigosa ameaça a ordem estabelecida? Sobretudo, quando esta ordem se sustenta e se legitima em bases […]


| 01/05/2019 19:24

Para Kininha: Louvação e amizade, Por Mariana Moreira

De repente, a velocidade das novas ferramentas de interação e comunicação escancaram a dor e a trágica surpresa de tua súbita morte. A incredulidade ante o inevitável causa reboliço e nos atordoa. A profusão de sentimentos tem como referência e substância uma inquietação: a amizade e suas múltiplas vivências nestes tempos de ligeireza, atropelos, sobrecargas […]


| 18/04/2019 11:31

Louvação a amizade

De repente, a velocidade das novas ferramentas de interação e comunicação escancaram a dor e a trágica surpresa de tua súbita morte. A incredulidade ante o inevitável causa reboliço e nos atordoa. A profusão de sentimentos tem como referência e substância uma inquietação: a amizade e suas múltiplas vivências nestes tempos de ligeireza, atropelos, sobrecargas […]


| 12/04/2019 08:24

Flagrantes de tempo

Os pingos da chuva resvalam no telhado e arejam meu rosto. Um clarão intenso antecipa o trovão que espoca com fulgurante e profunda intensidade balançando a chave na fechadura da porta principal da casa. O sono chega embalado por uma música que traz acordes de tempos infantis. Um imaginário movimento de mãos masculinas e calejadas […]


| 05/04/2019 08:40

A morte é feminina, a violência também…

O crescimento dos casos de feminicídio no país não deve ser explicado como consequência natural do desenvolvimento. As mortes de mulheres tendo como motivação a sua condição de mulher revela o desenvolvimento de uma mentalidade que, institucionalizada como opção de governo, passa a produzir discursos de ódio como explicações inerentes ao desenvolvimento de uma sociedade. […]


| 29/03/2019 09:49

A Tereza, odes!

A encontrava sempre perambulando pelas ruas centrais da cidade. De alguns, poucos, recebia um olhar amistoso. De muitos, um rosto virado, contorcido com a manifestação do desprezo. Em que momento ela iniciou essa existência de devaneios e andar a esmo, não sei. Mas, desde os anos de 1980 que a via falando e gesticulando para […]


| 15/03/2019 09:02

Lições de Suzano

O que a tragédia de Suzano nos ensina? A primeira lição que devemos tirar dos escombros de dor e desnorteamento é que a tragédia não é obra do acaso. Ela é consequência da ação concreta de homens que, em suas interações e propósitos, produzem governos e administrações que trazem como marca central a exclusão, a […]

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!